Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Chegar ao fundo

por mimi, em 18.01.08

Tenho que partilhar convosco o que soube á pouco.

A mãe de um amiguinho do meu filho que costuma ir brincar com ele lá a casa está muito mal psicológicamente.

O que soube foi por uma conhecida de ambas, embora em parte eu já soubesse do que se tinha passado.

Então é assim, dizem que ela já foi apanhada a roubar em várias lojas (não por motivos financeiros, mas talvez seja uma doença, não sei), a última vez foi numa loja de bijutaria e ficou filmado ela a pôr no bolso um anel do valor de 3€. Esta loja de bijutaria fica mesmo ao lado do local de trabalho dela, também uma loja mas de um ramo diferente.

Esta história chegou aos ouvidos da patroa e ela propôs-lhe que se fosse embora, porque não podia ter uma pessoa assim na loja que não confiasse e que tinha a certeza que ela já tinha levado coisas da sua loja sem pagar, só não conseguia provar. Vamos chamar à mãe do amiguinho do meu filho C.

A C. perante isto concordou e foi-se embora, mas depois alguém a aconselhou a procurar um advogado para se aconselhar. E foi aconselhada a apresentar-se ao serviço porque se aceitasse ir embora não teria direito ao fundo de desemprego.

Ela regressou e a  patroa não fez mais nada, mandou-a para o armazém e reuniu o pessoal que lá trabalha e avisou que a partir desse dia a C. iria trabalhar lá mas para terem todos cuidado com a carteira e incubiu a chefe de armazém a revistar a C. todos os dias à sua saída.

Como seria de prever a C. não aguentou a pressão psicológica que estava a fazer e conseguiu que lhe dessem baixa e desde então está em casa de baixa médica.

Isto já lá vai um mês e ela está a afundar-se e a deixar-se ir abaixo completamente. Foram lá a casa para falar com ela e o que se lhes deparou foi uma degradação a todos os níveis. A C. que tem à volta de 30 anos parece ter 50, já não sai de casa à 2 semanas, sempre de pijama, já não lava roupa à perto de um mês, nem arruma a casa, nem cozinha, nada.

O filho já não tem o que vestir, são montes e montes de roupa suja por todo o lado, embalagens de comida fast food espalhadas pela cozinha.

Depois desta constactação o meu coração está apertadinho, tenho pena daquela criança, que deve estar infeliz com toda a certeza. Os pais estão divorciados, mas será que o pai não se aperceberá do que se passa. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2008
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2007
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2006
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D